역사 - História

Abtin e Frarang – uma história que liga a Pérsia a Silla

Há uns tempos vi na KBS World uma reportagem sobre as relações entre o Irão e a Coreia, que teve como foco o Kushnameh, um poema épico pré-islâmico que faz parte da história mitológica do Irão. Foi escrito por Irashan entre os anos de 501-4/1108-11 e a versão original encontra-se no Museu Britânico.

O que tem este poema de especial e o que o relaciona à Coreia?

Um projecto académico conjunto do professor iraniano Daryoosh Akbarzade e do professor de Antropologia Cultural na Universidade de Hanyang apresenta agora a extensão das relações entre os dois países.

“Apesar de pensarmos nas relações entre a Coreia e o Irão maioritariamente em termos económicos, esta investigação prova que as relações eram mais tridimensionais e que datam de há mais de 1000 anos”, disse Darvishi Hossein, conselheiro de diplomacia pública na embaixada iraniana.

Kushnameh, o poema, foi analisado durante seis anos em universidades do Irão, Coreia e Índia contém muitas referências e descrições do reino Silla (57 A.C. a A.D. 935). Os investigadores acreditam que muitas figuras históricas são descritas no texto. Uma das personagens principais do épico é Abtin, um príncipe persa sassânida noivo de uma princesa de Silla de nome Frarang, a convite do rei de Silla. Este noivado acontece depois de Abtin ter fugido de sua casa, o império Sassânida (A.D. 224 a 651) enquanto este cai às mãos dos muçulmanos árabes e depois de ter percorrido uma longa e difícil viagem marcada por encontros mágicos e assustadores no Irão e China do século XVII.

As descrições de Silla no Kushnameh surpreendem pela abundância e pormenor, contendo informações sobre a sociedade da época, relações China-Irão-Silla, alianças militares entre Silla e Irão, iranianos em Silla e as excelentes condições de vida nesse local. Silla é descrito como um local quase mágico, utópico até, onde o ouro abundava. No entanto, foi difícil para os investigadores distinguir o que seria verdadeiro e o que seria embelezado, mas o texto revela a profundidade das relações entre os dois países.

Segundo o Dr. Daryoosh Akbarzade, as duas culturas fundiram-se à 1200 anos, de forma natural. Garrafas de vidro de Silla descobertas apresentam as mesmas técnicas de produção utilizadas na dinastia persa e produtos persas, como carpetes e tecidos eram importados para Silla, sendo usados entre a classe aristocrática do reino. Tudo isto se deve ao comércio marítimo e terrestre entre a Coreia e o Médio Oriente no século XVIII, precedida pela derrota da Pérsia no século XVII, que levou Abtin a migrar.

Quanto ao suposto casamento entre o príncipe persa e a princesa de Silla, Ju Bo-don, antigo membro do Comité de Compilação de História Nacional afirma que podem ter acontecido nos finais do século oitavo. Apesar de achar que este casamento de classes de topo deve ser investigado com  mais pormenor, declara verdadeiras as trocas culturais entre coreanos e persas, sendo que existe mesmo uma estátua de um almirante que aparenta ser de origem persa num dos túmulos reais em Gyeong-ju, capital do reino Silla.

Aqui fica o vídeo do documentário (infelizmente sem legendas em inglês).

Fontes:

Korea Herald

Korea Times

IBNA

 

 

 

 

 

 

 

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s