문화 - Cultura · 역사 - História

O Navio Tartaruga – 거북선

Durante a  minha (pequena) viagem à Coreia do Sul não resisti a visitar o Museu da Guerra. Sendo eu criada junto de rapazes fascinados com aviões, armas e histórias de guerra, essa fascinação acabou por passar um pouco para mim (e não, não sou fascinada com a violência, sou fascinada com a história).

Neste museu uma das primeiras coisas que aparece (se não é mesmo a primeira, devo admitir que já não me lembro) é o barco de guerra mais “potente” de sempre (digo isto por causa da época em que foi construído e porque a ideia foi genial), o Navio Tartaruga – 거북선

Em 1591 o Almirante Yi decidiu pegar em rascunhos de um barco com quase 200 anos e reconstruir este barco porque, naquela época, o perigo de uma invasão japonesa era iminente e eles precisavam de se precaver ( o Japão muito gostava de invadir tudo e todos).

O navio tinha 34-2 metros de comprimento e 6.4 de largura, na proa tinha uma cabeça de dragão pela qual eram disparadas bolas de canhão (olha fiz uma rima… lol…). Já a popa tinha o formato de cauda de tartaruga e estava protegida com portas para armas. A cobertura do navio era feita com pranchas cobertas de picos de ferro e entre estes havia um pequeno caminho em forma de cruz que servia de passagem para a tripulação. Estes picos de que falei eram uma excelente estratégia porque, para além de proteger os marinheiros coreanos, causava logo baixas nos atacantes, principalmente japoneses que tinham como como táctica de ataque invadir os navios para um combate corpo a corpo.O convés também estava equipado com portas para armas de cada lado.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Muito basicamente este barco era uma fortaleza aquática, e porquê?

Ora vejam (leiam), durante os combates eles escondiam os picos com palha, ou seja, o inimigo ao tentar entrar ficava logo ferido porque não via os picos. Qualquer ataque vindo tanto dos portos como de estibordo tinha como resposta flechas e tiros de canhão que podiam ser lançados de qualquer parte do navio.
Também parecia uma espécie de Big Brother ao contrário porque dava para ver para fora do navio, mas quem estivesse de fora não via o seu interior. Outra táctica usada era bater contra os navios inimigos e afundá-los (este era o objectivo do Almirante Yi ao construir o navio). Depois de baterem nos navios os marinheiros coreanos atacavam com os canhões. Isto diz que não devia dar muitas hipóteses aos inimigos… É de  referir  que este navio foi o primeiro na história a ter um revestimento de ferro.

E pronto, tinha todo o tipo de armas e claro que conseguia navegar entre os navios dos inimigos porque era um badass. Digam-me lá que este navio não era uma excelente arma de guerra? Foi uma construção de génio!

Créditos:

Wikipédia

TurtleShip.htm

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s